terça-feira, 7 de agosto de 2007

Capitalismo para crianças

Esta é uma fábula atribuída a Ronald Reagan, transmitida em um programa de rádio do mesmo antes dele ter sido eleito presidente. Não sei se nada disso é verdade. Se alguém tiver informações que confirmem a veracidade da história, eu peço que me informe. Porém, a fábula é muito boa da mesma forma, e a reproduzo aqui:

Uma galinha achou alguns grãos de trigo e disse a seus vizinhos:
"Se plantarmos este trigo, teremos pão para comer. Alguém quer me ajudar a plantá-lo?"
"Eu não", disse a vaca.
"Nem eu", emendou o pato.
"Eu também não", falou o porco.
"Eu muito menos", completou o bode.
"Então eu mesma planto", disse a galinha.
E assim o fez. O trigo cresceu alto e amadureceu em grãos dourados.

"Quem vai me ajudar a colher o trigo?", quis saber a galinha.
"Eu não", disse o pato.
"Não faz parte de minhas funções", disse o porco.
"Não depois de tantos anos de serviço", exclamou a vaca.
"Eu me arriscaria a perder o seguro-desemprego", disse o bode.
"Então eu mesma colho", falou a galinha, e colheu o trigo ela mesma.

Finalmente, chegou a hora de preparar o pão.
"Quem vai me ajudar a assar o pão?" indagou a galinha.
"Só se me pagarem hora extra", falou a vaca.
"Eu não posso por em risco meu auxílio-doença", emendou o pato.
"Eu fugi da escola e nunca aprendi a fazer pão", disse o porco.
"Caso só eu ajude, é discriminação", resmungou o bode
"Então eu mesma faço", exclamou a pequena galinha. Ela assou cinco pães, e pôs todos numa cesta para que os vizinhos pudessem ver.

De repente, todo mundo queria pão, e exigiu um pedaço.
Mas a galinha simplesmente disse: "Não! Eu vou comer os cinco pães sozinha".
"Lucros excessivos!", gritou a vaca.
"Sanguessuga capitalista!", exclamou o pato.
"Eu exijo direitos iguais!", bradou o bode.
O porco, esse só grunhiu.
Eles pintaram faixas e cartazes dizendo "Injustiça" e marcharam em protesto contra a galinha, gritando obscenidades.
Quando um agente do governo chegou, disse à galinhazinha: "Você não pode ser assim egoísta"
"Mas eu ganhei esse pão com meu próprio suor", defendeu-se a galinha.
"Exatamente", disse o funcionário do governo. "Essa é a beleza da livre empresa. Qualquer um aqui na fazenda pode ganhar o quanto quiser. Mas sob nossas modernas regulamentações governamentais, os trabalhadores mais produtivos têm que dividir o produto de seu trabalho com os que não fazem nada".
E todos viveram felizes para sempre, inclusive a pequena galinha, que sorriu e cacarejou:
"eu estou grata", "eu estou grata".
Mas os vizinhos sempre se perguntavam por que a galinha nunca mais fez um pão.

***

Essa fábula deveria ser distribuída e estudada em todas as escolas brasileiras.
Quem sabe assim, em uma ou duas gerações, sua mensagem central pudesse tomar o lugar de toda essa papagaiada pseudo-socialista que insiste em assombrar nosso país e condená-lo à eterna miséria.

7 comentários:

Luís Afonso disse...

o autor desta fábula é o Ronald Reagan.

Kosher-X disse...

Eu gostaria de uma confirmação factual disso; pois apesar de achar cópias da fábula até em Portugal, nunca a encontrei nem mesmo em inglês.

Há a lenda e a fábula, que é bem elaborada, mas eu realmente queria o audio dessa transmissão de Reagan pra comprovar, ou algum registro verídico.

Anônimo disse...

Nossa! realmente é incrível como um defensor do sistema capitalista (no caso, Ronald Reagan) não consegue usar argumentos sólidos para defender seu ideal.
Não vou me aprofundar explicando o que é capitalismo.. para os leigos deixo indicado um livrinho bem bacana da Coleção Primeiros Passos, chamado "O que é Capitalismo?".
Deixarei apenas uma pergunta, e tbm farei o favor de respondê-la:
Todas as pessoas têm direito à propriedade privada?
Constitucionalmente, a resposta é SIM.
Mas nem todas a tem, certo?
E pq?
Será pq seriam "preguiçosas" e não trabalham o suficiente para conseguir ter uma propriedade privada, a ponto de montar sua própria empresa, e ganhar muito dinheiro?
E será que uma pessoa, comum, pobre, trabalhadora, consegue enriquecer ganhando um, dois ou 5 salários mínimos, tendo contas a pagar e familia para sustentar?
Quem são os grandes proprietários? os grandes empresários? os grandes capitalistas?
Será que esses "grandes" trabalham duro para terem o que tem?
Vcs acham que o dono do MC Donalds trabalha tanto quanto um balconista de uma de suas franquias que ganha apenas míseros 2,50 a hora?
Gente, não sejam ingênuos!!
Uma das muitas lógicas do capitalismo é acumular para expandir.
E só conseguimos acumular se produzirmos em alta escala.
Para produzir em alta escala, precisamos de mão-de-obra.
Mas é claro que não podemos pagar um valor justo pela mão-de-obra... não vamos pagar pelo que REALMENTE essa mão de obra produz... pagaremos o "valor de mercado".
Ou seja, eu tenho uma grande empresa, preciso de funcionários, vou COMPRAR o trabalho desse funcionário. E esse funcionário vai trabalhar para gerar riqueza PARA MIM!!!
Isso parece justo?
Quem é o preguiçoso na história?
É o funcionário do Mc Donalds que trabalha todos os dias para enriquecer UMA pessoa, ou o DONO do MC Donalds, que coloca um monte de funcionários (ou "colaboradores", para ser mais bonitinho) para PRODUZIR riqueza PARA ELE, e que enquanto o pobre funcionário se lasca, o dono viaja em cruzeiros, tem os melhores carros, melhores casas, etc e etc...
Pensem nisso!
E leiam o livrinho q indiquei.

Kosher-X disse...

Anon, "incrível" é você ter perdido tempo "comentando" sem nenhum argumento sólido (e ainda fala de mim) em um post de 2007 de um conto que só publiquei porque queria saber se era mesmo do Reagan (e com isso, descobri que não era, então o objetivo foi concluído). E só publiquei esse teu comentário "sólido" pra que todos vejam como os defensores de qualquer outro sistema não capitalista não usam nenhum argumento sólido, baseando-se em falácias aprendidas através de livros tendenciosos como deve ser esse que você indicou sem nem mesmo um ISBN pra saber do que se trata. Nem uma pesquisa pelo Google consegue encontrar um livro chamado "O que é Capitalismo", ok?
Mas obrigado pelo comentário, isso pode dar um bom post de resposta pra retirar as teias de aranha daqui. É sempre bom verificar minhas convicções sólidas e solidificá-las cada vez mais.

peixoto999 disse...

Olá Kosher.

Muito interessante (e infelizmente, verdadeiro em nossos dias) este conto. Sei que devia ter pedido antes, mas já o postei em meu facebook (http://www.facebook.com/peixoto999). Espero que não se importe.

Quanto ao infeliz que tentou defender a ruina e a miséria de nosso país, ele deveria estudar um pouco mais antes de contra-argumentar. Comunismo só tira - não divide nem multiplica - e desanima qualquer um a se tornar produtivo.

É da natureza humana desejar recompensas à altura de nosso esforço, como estudos cientificos já comprovaram. Quando satisfeitos, nosso organismo produz substâncias que geram prazer. Portanto, negar recompensa à altura do esforço é negar nossa própria natureza.

Somos todos diferentes, nascidos com dons diferentes, talentos diferentes e inteligencias diferentes. E se mesmo entre os animais que vivem em bandos há um lider, porque a humanidade seria diferente? Mas novamente, o comunismo quer negar a natureza humana em todos os aspectos.

Por estas e outras razões eu acho o Comunismo uma utopia impossível.

Anônimo disse...

Olá,
Cheguei aqui quando digitei no google "capitalismo para crianças". Já tinha lido esta fábula na minha infância, em um livro infantil, mas no final não tinha nada disso... enfim, isso não vem ao caso agora.
Só gostaria de informar para quem se interessar, que o livro indicado pelo primeiro anônimo chama-se sim "O que é Capitalismo". Trata-se de uma coleção da editora Brasiliense, que fez muito sucesso principalmente entre as décadas de 1980 e 1990, com títulos variadíssimos começando com "o que é..." aí tem sobre capitalismo, música, loucura, punk, psicologia etc. O volume sobre o Capitalismo foi escrito por Afranio Mendes Catani. ISBN: 85-11-01004-1

Os livros dessa coleção hoje em dia são mais fáceis de serem encontrados em sebos (lojas de livros antigos) - embora alguns títulos ainda estejam sendo reeditados até hoje!

Abraço,
Paula

zemane1970 disse...

Esse anônimo fala da Coleção Primeiros Passos, da Editora Brasiliense. Livros de bolso sempre com o título "O Que É...", que são indicados pelos cursos de Humanas das faculdades brasileiras, onde a maioria dos professores são militantes de partidos políticos tais como PSTU, PSOL, PC do B, PCO, etc.. O que tu acha que um cara que leu um livro desses indicado por professores deste naipe e que certamente foi cooptado diria?